EXTRAMUROS - Revista de Extensão da Univasf, Vol. 5, No 2 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Transição agroecológica: a experiência de autogestão das mulheres de Vila Nova – Dormentes/PE

Carlos Alberto Possidio, mattos Schirmer Jorge Luis

Resumo


Realizou-se um estudo de caso com um grupo de mulheres da Associação dos Pequenos Produtores da Comunidade de Vila Nova, no Município de Dormentes-PE. O estudo teve como objetivo entender a experiência de gestão no sentido multidimensional: social, econômico, político e técnico. Esse processo iniciou com a implantação de uma horta orgânica comunitária e se estendeu para a Associação. Na gestão da Associação, o grupo diferenciou-se pela forma de conduzir os trabalhos,tendo como base a autonomia, transparência edemocracia na tomada de decisão. Tal experiência caracterizou-se como uma organização social, política e produtiva pautada na autogestão. Nos aspectos relacionadosàs dimensões sociale econômica percebem-se relações de ajuda mútua, cooperação, solidariedade, dádiva e reciprocidade. Taisrelações constituíram-seno marco para superação das dificuldades enfrentadas pela comunidade relacionadas aos aspectos climáticos, econômicos e sociais.Ademais, as práticas de autogestão contribuíram para o processode transição agroecológicana comunidade.